PETAR – Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

Caverna da Água Suja

 Após descer pela corredeira dentro da Caverna da Água Suja

mapascan0067.jpgalambari2.jpgscan0066.jpgaguasuja.jpgentrada4.jpgpetar5.jpgentrada3.jpgpetar31.jpgvista.jpgpetar4.jpgpetar6.jpglagebranca.jpgpetar1.jpgpetar12.jpg11039med-caverna-agua-suja.jpgrio-betari.jpg 

O PETAR é um dos Parques mais antigos do Estado de São Paulo, fica ao sul do Estado quase na divisa com o Paraná. Possui uma área de 35.712 hectares. Foi criado em 1958 para proteger o rico Patrimônio Natural da Região do Alto Ribeira, onde encontra uma grande biodiversidade nos extensos contínuos de Mata Atlântica, sítios paleontológicos, arqueológicos e históricos. Abriga ainda uma das maiores concentrações de cavernas do país: 250 cavernas cadastradas.

Quando eu visitei o parque, há 15 anos atrás eu ainda estudava na FAU. Um amigo meu, o Renato Hoffer, me chamou para irmos acampar de ultima hora e eu fiz a mala e fui! O pior é que, por ser uma marinheira de primeira viagem, escolhi uma bolsa difícil de carregar, me encontrei com meu amigo na Rodoviária, e lá fui eu, sem saber o que me esperava. Ele com a barraca e o outro amigo (ex-escoteiro) com a bússola e outros artefatos. Sofrimentos à parte pelo peso da mala, não poderia ter sido melhor! Claro que naquela época tudo era mais rústico e menos organizado… ficamos acampados na parte denominada hoje de núcleo Santana. Posso afirmar que, de longe, a melhor aventura foi a visita à Caverna da Água Suja onde você entra pelo rio que corre dentro da caverna. Tem uma parte que a água cobre até praticamente o seu pescoço e você passa bem perto das estalagtites (praticamente tocando o cabelo/chapéu), mais à frente dá para sair da água, então escalamos uma montanha de barro, para descer do outro lado que dava no meio de uma corredeira, voltamos pela corredeira a baixo (primeira foto) até voltar até a entrada da caverna, detalhe, com apenas duas lanternas num breu total! A trilha pelo rio Betari é tranquila, mais ou menos um hora de caminhada cruzando o rio (que não é fundo) de um lado para o outro; no final o prêmio: duas cachoeiras maravilhosas, uma do lado da outra… Nunca vou me esquecer do bando de borboletas gigantes… e para a minha sorte uma delas pousou em mim!!! Quase já ia me esquecendo… a gente se perdeu dentro da Gruta do Morro Preto, se não fosse a bússula (do amigo do Renato) estaríamos rodando lá dentro até hoje! Ao chegar na gruta, você primeiro deslumbra a magestosa entrada, se olhar a primeira foto depois do mapa, vai ver o tamnho da abertura ao perceber as duas cabecinhas no pé da gruta… depois vc atravessa a galeria e do outro lado tem uma pequena passagem para dentro da caverna. Uma vez dentro do pequeno orifício, vc se depara com o breu total! Nesta segunda galeria dá para ouvir um rio correndo ao fundo… e como na volta o som do rio estava à frente ficamos meio confusos e perdidos por entre diferentes passagens. Anyway, no final deu tudo certo e estou aqui para contar essa história! Foi uma grande aventura… uma viagem inesquecível!

Hoje exitem 4 Núcleos implantados, todos para facilitar o controle dos turistas e proteger de forma organizada esse rico Patrimônio:

  • Núcleo de Santana: é o mais visitado e mais estruturado, localizado no Município de Iporanga, no Vale do Rio Betari, fica a mais conhecida das cavernas, a de Santana, com salões e galerias de rara beleza. Também fazem parte desse núcleo a gruta do Morro Preto, a gruta e a cachoeira do Couto e ainda a trilha do Betari, que, margeando por 3,2 Km o rio de mesmo nome, leva à Caverna da Água Suja, ao monumento geológico Torre de Pedra e a mais duas cachoeiras.
  • Núbleo Caboclos: está isolado do restante do Petar, ocupa a parte Central do Parque, no Município de Apiaí. conta com duas trilhas de cerca de 700 metros, que dão acesso às Cavernas Mirim I e II, Aranhas, Pedra do Chapéu, Caverna da Teminina e Desmoronada. Existe uma  área de Camping com banheiros, chuveiros, lavanderia e ambulatório. É cobrada uma taxa diária de R$ 6,00 por pessoa e também é necessário fazer reserva.
  • Núcleo Casa de Pedra: onde se encontra a Caverna Casa de Pedra, caverna com o maior pórtico do mundo, cerca de 215 metros de altura. É permitido somente visitar o pórtico, sendo proibida a entrada.
  • Núcleo Outro Grosso: está localizado junto ao Bairro da Serra. Tem como principal atrativo a Caverna do Outro Grosso, considerada por muitos como sendo a caverna mais difícil de se fazer do Petar. Aqui se desenvolverm atividades ambientais junto à comunidade local e são realizadas pesquisas. Entre as trilhas existentes, a mais procurada é a da Casa da Farinha que dá acesso ao Museu da Cultura Tradicional.

Mais informações: 

  • Localização: Município de Apiaí, no Vale do Ribeira, à 370 Km ao sul de São Paulo.
  • Telefone: (0XX15) 3552 1875 e 3552 1528
  • Como chegar de carro: pegar a BR 116 sentido Paraná até a cidade de Jacupiranga, de lá seguir para Eldorado e depois para Iporanga. Ou seguindo desde São Paulo direto pela Rodovia Castelo Branco. Para chegar no núcleo Cablocos seguir a Sp-280 até Tatuí, depois seguir a SP-127 até Capão Bonito e depois a SP 250 até Apiai. Daí, são mais 23 Km até o Núcleo Principal, pela Rodovia Apiaí-Iporanga – SP 165.

É importante lembra que:

  • Esta é uma viagem de 2 a 3 dias pelo menos para ser melhor aproveitada.
  • As cavernas não tem iluminação própria, você vai precisar de lanternas ( não esqueça de levar pelo menos 2 jogos de baterias reservas)
  • Você vai precisar de tênis com solado antiderrapante.
  • De preferência leve roupas de material leve e de fácil e rápida secagem como tactel que o materão seco e aquecido.
  • Carregue a mala de barras de cereal e chocolates para ingerir nas trilhas e cavernas e não esqueça do saco de lixo para trazer os restos de volta.
  • Faça a sua reserva com antecedência para não perder a viagem. Existem pousadas na regição e agências que programam grupos com diferentes atividades, desde caminhadas até bóia cross e rapel.

By Tatiana Matsuo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Terapias Alternativas, TODOS OS TEXTOS. Bookmark o link permanente.

4 respostas para PETAR – Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

  1. Rodrigo Bueno disse:

    Deve ser bem legal .. bóia cross nas cavernas …

  2. tatipilates disse:

    O Bóia Cross é feito na correnteza do rio… e não se esqueçam que o parque está temporariamente fechado!!! Se vc curte aventura, procure experimentar um Rafting… vale muito a pena tbem!
    Bjs…

  3. alexandre disse:

    Olá…vc tem retornado ao Petar?…
    estou sempre por lá (todos os feriados)…continua muito bom.
    os preços mudaram um pouco, acesso ao Parque $5.00 , p/pessoa.não existe mais o camping dentro do Parque.
    os meios de hospedagens se encontram no Bairro da Serra , campings, pousadas, restaurante, pastel,balada …
    Para acessar os núcleos , somente com guias regionais, 8 pessoas máx. $de 80.00 – 100.00 por dia.
    Se precisar de mais info estou a disposição.
    Iniciativas como a tua em divulgar atrativos são sempre muito bem vindas…parabéns
    um abraço…

  4. tatipilates disse:

    Muito obrigada Alexandre, eu não tenho retornado ao Parque, mas pretendo em breve… muito obrigada pelas dicas… =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s