Bons e Maus Carboidratos

Saiba escolher os alimentos benéficos ao organismo

A campanha contra os carboidratos está na moda no mundo e, embora a crítica aos seus efeitos no organismo seja bem-intencionada, deve ser avaliada adequadamente. Na realidade, corremos o risco de cometer com os carboidratos o mesmo erro que cometemos há 10 anos com as gorduras, crucificando os bons juntamente com os maus e, com isso, prejudicando a saúde e o desempenho físico.

Os carboidratos presentes nas frutas, vegetais e grãos integrais funcionam como combustível para o organismo durante a prática de exercícios, aumentam a energia e auxiliam no reparo e no crescimento muscular após o exercício. É fato que necessitamos de carboidratos. O que devemos tomar cuidado é com o tipo de carboidrato que ingerimos, pois é o que fará a diferença entre ficar em forma ou acumular gordura e propiciar doenças cardíacas.

Um bom guia para a escolha de bons carboidratos é o chamado Índice Glicêmico (IG), definido há 20 anos, na Universidade de Toronto, no Canadá, para auxiliar pacientes portadores de diabetes. O índice glicêmico faz um “ranking” dos carboidratos de acordo com seu efeito nos níveis de açúcar do sangue.

Estudos sugerem que o índice glicêmico pode oferecer benefícios importantes na prevenção do tão indesejável ganho de peso e de alguns tipos de câncer, não somente para os diabéticos. E como funciona? O índice é definido com base no quanto um carboidrato aumenta o açúcar no sangue, ou seja, alimentos com IG abaixo de 55 causam pequeno aumento na glicemia; entre 55 e 70 um pouco mais; e os mais altos, e os piores, acima de 70. O que faz com que esse índice seja maior ou menor é a capacidade do organismo em digerir tal alimento e liberar glicose no sangue mais rapidamente.

E qual é o problema de ingerir alimentos com alto índice glicêmico (IG)? Quando o açúcar no sangue sobe, sobe também a produção do hormônio insulina que, em quantidade moderada é bom, mas pode se tornar um grande problema para a saúde quando produzido em excesso e repetidamente, propiciando o surgimento de doenças, como a obesidade, o câncer e as doenças do coração. A insulina é um hormônio extremamente anabolizante e leva ao acúmulo de gordura, principalmente a abdominal.

Um fato muito importante é que as fibras retardam a absorção de glicose, ajudando a diminuir o índice glicêmico (IG) dos alimentos que contêm carboidrato. Portanto, quando fizer suas escolhas, opte por carboidratos integrais, como arroz integral, cereais integrais, farinha integral, frutas com casca, verduras e legumes. Procure evitar os carboidratos refinados, presentes em alimentos feitos com farinha branca e açúcares.

Resumindo, alimentos com baixo IG auxiliam no controle e prevenção do diabetes e no controle de peso, fortalecem a saúde do coração, combatem o câncer e mantêm o indivíduo mais alerta


By Erika Alvarenga
.

Esse post foi publicado em Nutrição. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s