Pilates e a dor

Rolamento de Coluna com auxílio de molas

O Pilates e a Dor

O reconhecimento médico sobre a eficácia do Pilates no tratamento da dor vem crescendo nos últimos anos devido a um grande número de casos com resultados altamente satisfatórios na recuperação do controle motor, fortalecimento dos músculos da coluna e alívio de dor. Muitas pesquisas vêm sido desenvolvidas tanto aqui no Brasil como nos Estados Unidos onde o Pilates é aplicado antes e após a cirurgia de coluna ou qualquer outra articulação do corpo. A Pós Reabilitação com o Pilates acelera no processo de recuperação devido a possibilidade de trabalhar movimentos similares aos do cotidiano sem a ação da gravidade, com a coluna apoiada num ambiente diferente, onde a nova posição possibilita o aprendizado de um movimento novo e correto sem os antigos vícios de compensação a dor. O que isso quer dizer? Que por exemplo, você vai aprender a andar corretamente porém deitado. O nosso corpo tende a repetir os mesmos padrões se tentarmos corrigir o caminhar de pé. Além de introduzir o movimento novo em posições diferentes para assim “enganar” o corpo e eficientemente poder corrigir, os equipamentos do Pilates são compostos de molas com diferentes tensões, possibilitando o aprendizado numa intensidade extremamente leve, sem agredir a lesão existente. O corpo responde melhor sem se cansar e sem usar de forças compensatórias que são agressivas e causam o desalinhamento dos membros.

Outra característica fundamental é a possibilidade de trabalhar e fortalecer os músculos estabilizadores da coluna, cintura escapular (ombros) e quadril. Estes músculos são menores e quando enfraquecidos acabam extressando e provocando lesões e/ou patologias de coluna e de extremidades como ombros, cotovelos, punhos, joelhos e tornozelos. O Pilates faz o que chamamos de fortalecer “de dentro para fora”. Fortalecer o abdomem não quer dizer poder fazer 1.000 abdominais, e nem ter um abdomem “tanquinho”. O trabalho feito pelo Pilates é mais profundo, você vai fortalecer o transverso abdominal  juntamente com o assoalho pélvico (responsáveis por segurar os órgãos) e com o auxílio da respiração é feita a correção Postural. Todo o movimento partirá dessa conexão com o centro do corpo.

Numa terceira fase, onde o corpo passa a realizar os novos movimentos de forma natural, onde inconscientemente o ele está correto e eficiente, os exercícios passam a ser realizados na posição vertical para que sejam transferidos às atividades diária, substituindo os velhos hábitos.

Estabilização da escápula com movimento de braço

Terapia CrânioSacral e o Pilates

Muitas terapias como a CrânioSacral, Massoterapia, Acupuntura, Holfing, Feldenkrais e outros, são terapias que liberam a rigidez do corpo facilitando o movimento. O Pilates estimula o corpo a liberar tensões, melhorando o alongamento e deslizamento dos músculos; porém, em alguns casos de lesões ou dores crônicas, o corpo não aceita o movimento e tende a enrijecer mais como uma forma de antecipação a dor. É neste momento que outras terapias são extremamente eficientes no tratamento, pois vão apagar a memória da dor e fazer com que o corpo aceite e receba essa nova informação evitando uma reincidência da lesão e/ou aumento da dor.

Tenho aplicado em minhas aulas juntamente com o Pilates, a Terapia CrânioSacral, a Manipulação Visceral e Manipulação Neural para fazer o corpo voltar a fluir. Cada aluno sente de uma forma diferente, mas de maneira geral, o alívio é sentido quase que imediatamente. Com a musculatura relaxada consigo mobilizar as articulações com o mínimo de dor ou sem dor nenhuma. É sempre importante relembrar aos alunos que, a dor é sempre um aviso: Cuidado, algo não está bem! Portanto, ao realizar a terapia, deve-se ter o maior cuidado para não se machucar em casa ao sentir-se melhor. Não ter dor não quer dizer que já pode fazer de tudo. É muito importante que seja feito um trabalho de fortalecimento e correção motor para que as atividades diárias possam voltar a ser realizadas.

Cada caso é um caso. Tem pessoas que após uma aplicação já se sentem bem e voltam às atividades normais, outras podem levar meses. O que mais influencia é a gravidade da lesão e o tempo que vem sofrendo com mesma. Se o corpo tiver alterado os movimentos devido a dor, é imprecindível que seja feito o trabalho de reeducação motora para evitar novas lesões.

Essa terapia tem efeitos colaterais ou contra-indicações?

Não, na verdade o que tem que ser observado é que, como a terapia relaxa a musculatura que estava contraída e trabalhando por dias, meses e até anos, fazendo com que ela possa descançar e se recuperar, esse relaxamento traz o alívio na hora. Lembre-se que, o seu corpo tem memória… e a memória de contração deverá ser trocada pela memória de relaxamento… Somente após reeducar esses músculos e ensiná-los a se manterem relaxados e serem eficientes é que o corpo irá realmente se curar!

Vale a pena tentar!

Tratamentos

Dores Crônicas, Tensões e Estresse, Problemas de Coluna e Nervo Ciático, Tendinites e Bursites, Fibromialgia, Problemas de Joelho, tornozelo e pé, quadril, ombro, cotovelo e punho Dores de Cabeça e ATM, Contusões e outros.

By Tatiana Matsuo

Anúncios
Esse post foi publicado em Entendendo a dor, TODOS OS TEXTOS. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Pilates e a dor

  1. cassius lagreca disse:

    perfeito, comecei esse tipo de tratamento na minha cidade, to muito animado, voce é uma grande profissional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s