Depoimentos

Deixo este espaço para todos que quiserem compartilhar a sua experiência de melhora seja fazendo Pilates ou através de qualquer terapia ou mesmo através do blog.

Por favor conte-nos a sua experiência, ela poderá ajudar alguém que está passando pelo mesmo problema!

Muito obrigada por abrir o seu coração trazendo mais esperança através da sua boa energia!

19 respostas para Depoimentos

  1. Marnie Housler disse:

    Tati,
    It’s funny that I just had a woman approach me at the gym and ask me what my “workout secret” was. She had been watching my workout – which is a combination of many of the Pilates techniques that you taught me, along with some yoga and a bit of weight training. I do hard-core cardio – spinning – because I enjoy it. I always finish with a good half-hour of relaxation…stretching…breathing…core-strengthening Pilates floorwork etc. I feel really good at the end of my workout – and I strive to keep my workout time manageable.
    I’ll be honest though – the fireman (my boyfriend) is a huge influence and big help to keeping me on track with my workouts. For once, I am dating someone who appreciates that I may be late to see him as I am working out at the gym.
    I miss my Pilates workouts with you Tati. Seeing the pictures of the Cadillac and reformer – make me truly consider calling the Institute to see if there is anyone who can compare to your Pilates’ skills.
    miss you!! Hope you and Nicholas are well!! He must be getting big…soon he’ll be Pilates’ expert. 🙂
    – marnie
    Tradução:
    Tati,
    É engraçado que uma mulher acabou de me abordar na academia me perguntando qual era o “segredo do meu treinamento”. Ela tem olhado meu treinamento – que é uma combinação de muitas técnicas de Pilates que você me ensinou, junto com um pouco de Yoga e um pouco de trabalho com peso. Eu faço um trabalho forte de cárdio e Spinning porque eu adoro. Eu sempre termino com uma boa meia hora de relaxamento… alongamento… respiração… e fortalecimento abdominal de Pilates Solo, etc. E me sinto muito bem no final do treino – e eu consigo manter bem o meu tempo de exercícios.
    Mas eu vou ser honesta – o bombeiro (meu namorado) é uma grande influência e uma grande ajuda para me manter na linha com os treinos. Até que enfim, estou namorando alguém que aprecia que eu posso chegar tarde para vê-lo porque estou exercitando na Academia.
    Eu sinto muita falta das aulas de Pilates com você Tati. Ver as fotos do Cadillac e do Reformer me fizeram realmente pensar em ligar para o Instituto e ver se tem alguém que pode ser comparado as suas habilidades com o Pilates.
    Eu sinto a sua falta! Espero que você e o Nicolas estejam bem! Ele deve estar ficando grande… em breve será um Pilates Experte.🙂
    -Marnie

  2. Alexandre Hayafuji disse:

    Gostaria de deixar meu depoimento sobre o quão bem me fez a prática do Pilates nesse primeiro ano de treinamento.

    Tenho dores crônicas desde a adolescencia, em virtude de uma patologia chamada espondilite anquilosante, que atualmente está estabilizada mas que deixou suas marcas pelo meu corpo, como quadril flexionado, rigidez da coluna vertebral afetando assim a lombar e até a limitação de expansão da caixa torácica. A partir da prática do Pilates, fortalecendo músculos que anteriormente estavam em “sono profundo” pois sequer eram estimulados pelas minhas limitações, e também com a Terapia Cranio-Sacral, que ajudou a relaxar os músculos de áreas atrofiadas e “duras como pedra” como a lombar sobrecarregada que hoje já se apresenta MTO melhor do que quando iniciei o treinamento/tratamento.

    Hoje dou seguimento ao treino de Pilates, tentando desafiar cada vez mais meu corpo, de uma forma que ao acabar o treino não me sinto exausto, mas sim relaxado, e meus treinos na academia hoje são mto mais produtivos, localizados e conscientes, tentando sempre aplicar os ensinamentos da Prof. Tati nos meus treinos em seu estúdio!!

    Mto obrigado por tudo Tati e tudo de bom pra vc!!😀

  3. José Roberto M. de Barros disse:

    Faço Pilates há exatos três anos com o Wagner Hayashida. Em novembro passado começei a ter uma dor forte no ombro esquerdo, muito incômoda. O Wagner me encaminou para a Tatiana e com ela fiz umas dez sessões de Terapia Cranio-Sacral. Antes da final do ano já não sentia mais nada, o que se mantem até hoje.
    A técnica da Tatiana é excepcional. Tive muito gosto em conhece-la.
    Abraço. José Roberto.

  4. Renata Girotto disse:

    Olá pessoal. Resolvi escrever meu depoimento porque foi neste site que encontrei respostas para meus problemas de saúde.
    Veja só, se você tem dores na coluna, ciático e enxaqueca, já buscou vários médicos, tratamentos convecionais e não obteve solução ou mesmo alívio das dores, acredite vale a pena ler isto.
    Mesmo levando um estilo de vida saudável, praticando atividade física regularmente e trabalhando ativamente, em fevereiro de 2008 fui acometida por uma hérnia discal lombar no nível L5-S1. Quando recebi este diagnóstico foi um susto e mal sabia quanto sofrimento estava por vir.
    Busquei um neuro-cirurgião conhecido, por indicação de familiares. Ele me indicou a cirurgia, dizendo, claro, ser a solução do meu problema. Fiquei confiante, porque conheci pessoas que ele havia operado e que hoje levam a vida sem dor ou problemas em decorrência disto.
    Bom, fiz a cirurgia em Março de 2008, o pós-cirurgico foi traumático, tive muita dor de cabeça, mas ainda assim estava confiante porque as dores na lombrar e no ciático (que atacava minha perna, glúteo e pé esquerdo) haviam desaparecido. Mas em meados de maio/2008 a dor no ciático, principalmente no glúteo e perna esquerda haviam voltado. O médico me encaminhou para fazer outra ressonância-magnética e também voltei a tomar remédios.Em resumo, com o resultado do exame em mãos o médico não foi capaz de me dizer ou explicar o problema ou o motivo das dores terem voltado, acredite, apenas me disse para ficar confiante. A confiança se perdeu, porque as dores aumentavam a cada dia, voltei a este médico várias vezes e mesmo fazendo hidroterapia a dores aumentavam. Assim resolvi buscar outro médico. Gente, foi o fim da linha pra mim! Este médico disse que eu teria que fazer outra cirurgia e colocar pinos para imobilizar a lombar, caso contrário teria que conviver com a dor e as limitações desta enfermidade. Sai do consultório chorando, nada me consolava, afinal já estava afastada do trabalho, minha vida era dor e vivia na cama, não conseguia dirigir, me vestir, estudar.
    Neste mesmo dia, sentei na frente do computador e busquei no google pilates + coluna e fui fuçando, achei o site da Tatiana Matsuo na mesma hora mandei um e-mail para ela relatando o meu problema e minhas dúvidas, prontamente ela me respondeu e me convidou para fazer uma aula experimental. Gente foi minha salvação!
    Na primeira aula, cheguei lá com dores e uma enxaqueca que estava me deixando louca (já havia 4 dias). Alías tenho este problema de enxaqueca faz 12 anos, havia feito todo tipo de exames, busquei medicamentos e nenhum médico soube diagnosticar a causa. Enfim, a Tati me explicou um monte de coisas, tirou muitas dúvidas, me falou do pilates e da terapia CranioSacral. Ela fez a terapia em mim, fizemos alguns movimentos do pilates. ACREDITE na primeira aula eu sai de lá sem dor, até a enxaqueca foi embora, fiquei revigorada porque a sensação de não ter dor era nova para mim. Ela me explicou como o corpo tem memória da dor e como o medo havia paralisado meu corpo. Enfim, depois desta aula um mundo novo se abriu para mim e minha família, que estava sofrendo comigo.
    Tenho feito as aulas 2x por semana e melhorei muito, muito mesmo. As dores sumiram. As vezes voltam, mas a intensidade é bem menor, pude parar de tomar remédios e percebi que recuperei a confiança em mim mesma, podendo voltar a trabalhar. Vou seguir no tratamento e tenho certeza que minha recuperação será total. O Pilates está me fortalecendo e principalmente me educando sobre postura bem como no auto-conhecimento corporal.

  5. roseli machado disse:

    Boa tarde Tatiana… Que sorte minha ter encontrado seus artigos, parecia que voce estava falando de mim. Tenho diagnostico de fibromialgia, já fiz varios tratamentos e nada de melhorar. Minhas dores e minha tensão no pescoço e ombros estao ficando insuportaveis… como é dificil relaxar! Faço terapia sacrocraniana e a profissional está sempre me ensinando a respirar, mas me pego o dia todo respirando errado e super tensa. Meus ombros sobem em direção as orelhas mesmo sem ter tido um motivo ou uma situação dificil. Tenho sono nao reparador e acordo com dores no corpo, mas meus ombros ainda nao estão tao doloridos, mas é só chegar no trabalho começo a me tensionar e a sentir dores nos ombros, mesmo tendo colocado o monitor do computador bem na direçao dos meus olhos e estar sempre sentada corretamente, com as costas encostadas na cadeira. Fico tensa até indo passear… fiz uma viagem de 6 horas de carro no ultimo final de semana, meu marido é quem estava dirigindo e cheguei a chorar de raiva de mim mesma por estar tão dolorida, deprimida e de mau humor e é claro, acabei piorando. Meu corpo todo tensiona e formam nódulos doloridos nos musculos.Já me indicaram Pilates algumas vezes, mas a depressão é tanta que até tomar iniciativas fica dificil… mas agora eu vou, me senti identificada com seus artigos, gostei da forma simples e clara que voce coloca as situações e gostei muito mais da forma como vc expoe seus proprios problemas em beneficio de quem procura ajuda. Muito obrigada
    Roseli

    Boa tarde Roseli,
    Muito obrigada pelo contato… fico muito feliz em saber que de alguma maneira pude te ajudar…
    Sabe, muitas vezes saber e ter o conhecimento de que os ombros estão subindo, não resolvem o problema, pois vc pode forçá-los para baixo e isso nao diminui as tensões… o que vc tem que fazer muitas vezes é deixar a tensão ganhar… deixar ele subir… e pensar que ao expirar vc está relaxando, e deixar os ombros pendurados… tente encontrar o botão que desliga os musculos que elevam os ombros… nem que demore alguns segundos para conseguir soltá-los. massagenando e fazendo alongamentos vai ajudar para fazer com que eles desçam… mas puxá-los para baixo so agrava, vira uma guerra… vc os quer para baixo, mas a tensão logo os puxa para cima e vc vai se tensionando cada vez mais… tente fazer isso… e boa sorte…
    Se vc puder deixar essa mensagem linda e maravilhosa no depoimento do blog eu vou agradecer muito e isso pode ajudar outras pessoas… pois pessoas que conhecem alguém com dor poderá indicar…
    Um otimo dia de pra vc!
    Beijos….
    Tati.

    • catia disse:

      tenho fibromialgia e como todos sabem,sinto dores fortes em todo corpo,o que já me levou à depressão,inclusive com afastamento do trabalho.Tenho uma resistência muito grande qt à prática de exercícios justamente devido ás dores,mesmo sabendo da importância dos mesmos para a minha melhora.Estou fazendo pilates e aprendendo a sincronizar os exercícios com a respiração e espero encontrar essa melhora que li nos demais depoimentos.Estou confiante. bjsss….

  6. José Monte Aragão disse:

    Pesquisei onde dar meu depoimento a respeito do que senti com a Dor no Nervo Ciático. Encontrei aqui. Pois bem: Ao longo da minha vida e, por volta dos meus 16/18 anos de idade, ajudava meu pai numa mercearia. Lá, levantava sacos de arroz, milho ou feijão e os jogava acima da minha altura tranquilamente. Ali começa minha longa caminhada de dores em consequência desse absurdo que, inocentemente, cometia. Ao longo da minha vida, cometi muita estravagança, especialmente, ao ir pescar. Por várias vezes, puxava ou colocava sobre minha cabeça, um barco, motor e outras coisas pesadas que, com certeza pressionava minha coluna e o nervo ciático.
    Em julho de 2008, após ficar por três dias à margem de um rio, onde fui pescar, comecei a sentir dores e sem poder sentar normalmente. Passei um bom tempo na beira do rio. As dores foram aumentando e, após chegar em Brasília, comentei com a esposa sobre minha dor. No dia seguinte começou meu martírio. Iniciei a peregrinação para o pronto socorro de hospitais particulares, que graça a Deus ainda posso pagar um plano de saúde. Passei a ficar deitado, literalmente. Começava a doer. Doia tanto que minha filha e minha esposa começaram a se preocupar comigo, visto que só poderia ficar deitado. Minha filha que Graças a Deus é um “OURO”, dedicou-se durante todas as suas férias (coincidência), a me dar apoio e levar-me todas as vezes que sentia muita dor. Foram longos 22 dias que jamais esquecerei. Dores insuportáveis.
    Agosto de 2008, mês em muitos superticiosos querem distância, foi marcado por uma cirurgia que se anunciava. Corri por mais de quatro vezes ao pronto socorro com dores. Bote dor nisso. Parecia que minha perna ia rachar. Eram num hospital e em outro, na Asa Norte de Brasília. Fiz uma Ressonância Magnética a pedido de um ortopedista de plantão. Mas, diante o quadro de dor, foi aplicada uma injeção e a sequência do medicamente Tramal (para dor braba) começou ali. A partir desse pedido médico para que se fizesse a ressonância, pedi que me colocassem numa maca, visto que não suportava a dor, sentado ou de pé. Dor violenta. Marcamos uma consulta com um ortopedista de um hospital da Asa Sul. O aguardei de terça-feira até sexta-feira e, haja dor. Já não suportava. Começou a rotina de dor crônica e violenta. Acho que a dor de parto que tanto as mulheres reclamam poderia ser multiplicada por 10. Chegado o dia da consulta, o médico mostrou-me uma pequena coluna sobre sua mesa. Pediu a Ressonância, mas a mesma não havia pegado. Pedi que o mesmo ligasse para o outro hospital e o médico, gentilmente, fez o relato do resultado. Enquanto isso, ouvia o médico, atentamente, porém com pouco caso, visto que a dor era tanto, que minha filha e minha esposa ficaram atentas mais que eu, e observaram tudo o que o médico relatava. Só tenho certeza de uma coisa: Vi que ele mostrou a pequena coluna e me disse: “…senhor José, o senhor deve procurar imediatamente um neurocirurgião porque seu caso é de Infiltração ou Cirurgia e vou lhe mostrar o porquê…”. “…seu nervo ciático está assim (mostrando-me na pequena coluna sobre sua mesa) – travado sob essa cartilagem e sua medula está quase travada. Fiquei mais tranquilo porque sabia que o problema estava detectado. Procure imediatamente o neuro, disse”.
    Procuramos um quarto hospital (particular – com plano de saúde). O ortopedista de plantão mandou que me levassem para a mesa da emergência. Aplicaram Tramal. Eu gritava e chorava de dor o tempo todo. Foi ai que entrou uma médica (meu Anjo – seu nome, por questão de ética não revelarei). Juntamente com outro médico, ela tomou conta de mim e passou a tratar de mim. Mandou-me para um apartamento e internou-me imediatamente. Reiniciou-se ai, a sequência de uso do Tramal (para dor violenta). Aplicaram uma dose de Morfina. A dor era insuportável. Em pouco tempo o efeito da Morfina desaparecia e eu sofria muito. Graças a Deus que resolveram, seis dias após, fazer uma Infiltração, pois, segundo a médica e seu colega, não poderiam fazer uma cirurgia antes de tentar a infiltração. Caso não resolvesse, ai sim, a cirurgia seria inevitável, o que veio a ocorrer. Mais cinco dias depois e nada da dor passar. Raio X e mais um monte de exames foram realizados. A decisão da cirurgia foi inevitável. A médica chamou a família, e relatou-nos do risco da cirurgia. Aceitamos a cirurgia e maçou-se para mais quatro dias após, visto que já estava muitos dias no Hospital e a médica não aceitava fazer a cirurgia devido o risco de infecção. Fui para casa. Lá, novamente foi uma tortura, até mesmo com os comprimidos de Tramal e Morfina. Sofri o pão que o Diabo amassou. Minha filha e minha esposa chegaram a debruçar sobre mim e dizendo: “Pai o senhor vai ficar bom” – dizia minha filha; “Aragão, calma que você vai melhor e ficar bom” – dizia minha esposa. Mais de 60 comprimidos de Tramal e quatro aplicações de Morfina foram aplicados e administrados.
    No sábado (9 de agosto), foi realizada a cirurgia. Meu Deus! Como sofri. Após quatro horas de cirurgia e sete no total, voltei para o apartamento onde minha família esperava. Começava ali, o que ainda hoje sinto: O emotivo. Até hoje, quando relato para amigos ou parentes, não tem jeito, choro demais. Mas a dor vem passando. No decorrer dessa recuperação, já foram aplicadas mais de 50 sessões de fisioterapia, mais de 20 de acumputura já foram realizadas, bem como massagem e, continuo tomando dois tipos de remédio para a dor que, segundo minha médica, se estenderá por mais seis meses, incluindo-se ai, prosseguimento das aplicações de acumputura e massagens. Estou melhorando muito com as massagem e acumputura. Doi muito quando estou sentado. Deito e melhoro. Fiz, recentemente, Ressonância e Neuromiografia. O resultado é que constatou-se que há necessidade de Reenervamente ou seja, que o Nervo que estava travado “tome corpo” novamente e isto se dará com o passar do tempo, bem como com massagem, acumputura e hidroginástica a qual recomeçarei em fevereiro.
    Meu relato de dor no Nervo Ciático é isto. De quem sofreu, de quem está sofrendo, porém recuperando e, de quem não deseja para ninguém. Quero mesmo, um dia, simplesmente, falar para as pessoas que passei por este desagradável sofrimento, em vez de dizer que ainda sofro.
    DÊ SUA OPINIÃO, POR FAVOR.

    Sr. José Aragão, eu agradeço pelo seu relato, uma experiência tão dolorosa e que me emociona toda vez que a leio. Eu não sei se o Sr. ainda se encontra com dores, faço votos de que o seu nervo já tenha se recuperado. Com a minha experiência de trabalho lhe indicaria a Terapia CranioSacral e Manipulação Visceral e Neural, eu vou estar escrevendo novos textos falando sobre como fazer uma auto-aplicação, porém tenho certeza de que estas terapias lhe fariam muito bem. Muito amo e luz para o Sr. e para a sua família. Tati.

  7. Renata Girotto disse:

    Um ano se passou e estou aqui novamente para dizer que a terapia CranioSacral associada a prática do Pilates foi fundamental na minha recuperação após uma cirurgia de HDL (Hérnia Disco Lombar). A medicina alopatica não divulga que 50% das pessoas que fazem este tipo de cirurgia tem 50% mais chance de fazer outra do que aquela que não faz! Felizmente eu não preciso fazer a segunda cirurgia. E isto devo a Tati… (fizemos aniversário de 1 ano) e quero aproveitar para agradecer sua dedicação e excelência dado no meu tratamento. Abraços, Renata

  8. rita cunha disse:

    estou iniciando o pilates e estou me sentindo muito bem,tenho 52 anos e faço atividades fisicas a 7 anos, descobri pilates e estou fazendo, estou amando.

  9. Ana Maria Fernandes disse:

    Olá
    Voce não imagina como ler esses comentários me deu alívio (por perceber que não sou a única) e esperança (por vislumbrar uma possibilidae de melhora). Só estou triste por morar tao longe de São Paulo, e ser impossível conhecer pessoalmente seu trabalho. Permita-me resumir meu problema: tenho 42 anos, sempre estive acima do peso, e sou sedentária. Minha vida se resume a sentir dores, na verdade já me acostumei a sentí-la… Não há um só dia indolor; a diferença é apenas no local e na intensidade dela. Tenho diagnóstico de fibromialgia, e as vezes até tocar no meu corpo é super dolorido. Por ser obesa, os médicos que consulto já têm uma resposta pronta: você precisa emagrecer e fazer atividade física. Ora, é claro que o excesso de peso é prejudicial, mas não é possível que não haja uma forma de me ajudar, pois com a dor que sinto mal consigo me mover, muito menos fazer exercícios!! Resolvi pesquisar sobre pilates e “caí” aqui. Estou muito interessada em tentar essa modalidade. Meu receio é não encontram em minha pequena cidade interiorana um profissional que seja realmente bem capacitado e competente. Mas vou tentar, cheia de esperança. Obrigada.

  10. Tati, sensacional sua materia. Tenho 30 anos e sofro desse mal a 7 anos. Ao ler a sua estória, me vejo completamente, a única diferença é que não consegui me libertar da dor e acabei adquirindo uma depressão, gastrite, sindrome do pânico, acho que vou morrer com essa dor, não tenho vontade de sair de casa, penso que não tem mais jeito, tenho falta de ar e percebo-me prendendo a respiração por várias vezes. Quando olho para meu filhinho de 04 anos sinto vontade de chorar porque desejo muito viver para vê-lo crescer, mas a cada dia torna-se mais difícil pra mim. Não sei mais para quem pedir ajuda, já passei em várias especialidades da medicina e eles não tem respostas para mim. Estou desesperada!
    bjs.
    Marcia

    • tatipilates disse:

      Querida, desculpa pela demora na resposta… eu escrevi mais alguns textos que podem te ajudar, e vou continuar escrevendo mais sobre como transformar a sua vida e o seu corpo… para que a cura possa acontecer. Um forte abraço, Tati.

  11. Marcia Custodio disse:

    Boa tarde!
    Em maio/2010, tive um problema de érnia de disco, fiquei internada durante uma semana, sem os movimentos das pernas. Melhorei, tive alta, porém continuo com dor na lombar. Tomo rémedios controlados, sindrome do pânico, depressão e ansiedade. Me falaram do Pilates, gostaria de saber como funciona e se posso relamente fazer. Gostaria de um retorno. Pois tem dia que parece que vou enlouquecer.

    Aguardo o contato,

    Obrigada!

    Márcia Custódio!

    • tatipilates disse:

      Oi Marcia,
      O Pilates vai te ajudar muito, mas o professor que for trabalhar com vc deverá ter alguns cuidados. Primeiramente ele(a) deverá respeitar suas limitações colocando molas leves (o Pilates de chão poderá facilmente agravar o seu problema, por isso aconselho a fazer Pilates nos equipamentos), o seu enfoque será em mobilização, vc deverá realizar movimentos com pouca ou nenhuma dor, caso haja dor na primeira execução fique atenta, pois na segunda ou terceira repetição essa dor deve diminuir. Caso a dor persista ou aumente com o movimento o professor deverá adaptar o exercício ou fazer um movimento novo. Todo o alongamento deverá ser leve e sem dor para que o corpo não tensione para se proteger. Gradualmente vc irá iniciar um trabalho de resistência, sempre com pouco peso e variando as repetições em diferentes angulações de membro inferior e superior. O ideal seria vc receber algumas sessões de Terapia CranioSacral antes de começar o Pilates, para que a dor diminuísse, além da melhora do Síndrome do Pânico, depressão e ansiedade. A terapia possibilitaria um movimento mais fluido e uma melhor e mais rápida recuperação do esforço.
      Boa Sorte!
      Um abraço,
      Tati.

  12. Katarine Kleine disse:

    Olá Tati, sou sua colega mas trabalho no Rio de Janeiro. Ainda não lí nem metade do seu blog mas já me identifiquei bastante com seu trabalho. Sou fisioterapeuta, dou aula de Pilates e faço RPG, porém, ambos numa nova abordagem chamada Reeducação da Dinâmica Muscular (RDM). Amo o que faço, talvez seja esse o motivo de tamanha identificação. Parabéns! Conheça nosso trabalho no site http://www.escoladepostura.com.br
    Abraço, Katarine.

  13. SILVANA APARECIDA DA SILVA disse:

    OLÁ!SINTO UMACOISA MT ESTRANHA QUE FICO MT PREOCUPADA SINTO DORES HORRIVEIS NO CORPO COMEÇA NA SOLA DOS PÉS VAI PRA PERNAS E DOI TD MEU CORPO!O QUE SERA ISSO VCS PODEM ME AJUDAR ?EM NOME DE JESUS!É HORRIVEL E ESTRANHO.ME AJUDE.A DOR NA SOLA DOS PÉS QUEIMA MUITO.

  14. Ieda Angelica garcia disse:

    Estou muito curiosa para fazer terapia com você. Li muitas coisas sobre essas terapias e me interessei.gostaria de um contato para saber qual o mais apropriado para mim.
    Ieda Angelica

    • tatipilates disse:

      Oi Ieda, eu lhe enviei um email, porém no blog, tem a página de contato onde tem os meus telefones e endereços. Quando eu aplico a terapia, na verdade eu misturo as 3 técnicas, Terapia CranioSacral, manipulação Visceral e Neural… se vc tem dores o melhor é sempre começar com a terapia para depois progredir para o Pilates. Um abraço, Tati.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s